Sadanzinho



Bookmark e Compartilhe

<<< Voltar

SOU UM VENCEDOR

            Meu nome é Sadanzinho e tenho 03 anos de idade. Moro numa fazenda com meus pais e tenho uma família de humanos, muito especial. Meus donos me fazem carinho, me alimentam e cuidam da minha saúde. Tudo na minha vida estava a mil maravilhas até que um dia...
Eu estava andando um pouco afastado da minha casa quando de repente uma caminhonete me atropelou. Fiquei deitado no chão meio tonto e comecei a sentir terríveis dores nas patinhas do lado esquerdo. De repente, vi o homem que me atropelou se aproximar de mim. Tentei fugir, mas minhas pernas não me obedeciam. Ele então conseguiu me pegar e me colocou na carroceria do automóvel. Na hora eu achei que estava me levando para o hospital de cachorros ou para a minha casa, assim, me tranqüilizei. Logo depois o carro parou e quando eu percebi, tinham me jogado numa lagoa. Acreditem que me abandonaram ali para morrer? Tentei sair da água, mas não tinha forças. O corpo todo doía e eu já estava com fome.
A partir daquele dia aprendi a rezar. Pedi ao papai do céu que meus donos me encontrassem, ainda vivo. Deus existe e ama todas as criaturas! Já era noite quando ouvi uma voz familiar gritando meu nome. Depois de dois dias dentro d’água meu dono me encontrou. Consegui reunir todas as forças que me restavam, para demonstrar minha alegria ao revê-lo. Choramos muito, de felicidade!
Mais tarde, fiquei sabendo que minha dona havia feito uma promessa naquela noite e, que Deus havia indicado o local onde eu estaria, através de pistas na Bíblia. Ela é uma pessoa de muita fé e eu a agradeço todos os dias por isso.
No dia seguinte me levaram a um hospital de cachorros, onde recebi muita atenção e carinho. Porém, as notícias não eram muito boas. O acidente inutilizou uma pata da frente e uma de trás, do mesmo lado. A veterinária disse que teria que amputá-las! Não tinha mais jeito. Mas como vou andar? Como vou correr e defender meus donos de pessoas ruins? Afinal, sou um cão de guarda. A hipótese de eutanásia nem foi cogitada pelos meus donos, ufa! Muitos diziam que era melhor eu morrer para não ficar sofrendo, ou porque eu ia dar muito trabalho, ou ainda que o tratamento ia ficar muito caro. Mas minha dona disse que eu só iria morrer se fosse vontade de Deus e, que ela faria o possível e impossível para cuidar de mim, mesmo sem ter condições de esbanjar dinheiro.
Hoje, 22 de maio de 2010 estou internado a 45 dias e adivinhem? Já estou até correndo! Aprendi a me equilibrar só com duas patinhas do mesmo lado! E digo ainda mais para vocês: não sintam pena de mim, pois sou muito feliz com seres humanos que me amam ao meu lado. Quero que sintam sim orgulho, pois sou um vencedor!

Assinado: Sadanzinho

 

O relato é verídico, contado através de suposições a partir de dados obtidos com os proprietários. Logicamente todos os detalhes não condizem com o que realmente ocorreu no dia do acidente. Somente o Sadanzinho e quem o machucou sabem da verdadeira história.
A cada dia que passa os animais me ensinam uma lição. O Sadanzinho me mostrou que apesar de toda a tragédia ele não sente pena de si mesmo. Ele vive o presente, com toda intensidade. E tenho certeza que ele não guarda rancor e ainda seria capaz de perdoar quem o deixou aleijado, apenas em troca de um singelo afago.
Aos proprietários, os quais preservo suas identidades por motivos de segurança, fica minha sincera homenagem. São pessoas que seguem à risca a posse responsável dos animais. Uma vez que você tem um bichinho, deve cuidá-lo nos momentos felizes e tristes e nunca abandoná-los quando eles mais precisam.
Este paciente passou por 05 cirurgias ao todo, pois tentamos inicialmente preservar os membros.
Agradecimentos: gostaria de agradecer os colegas veterinários Dr. Márcio (Pet Center) e Dra. Fernanda Midori Arakaki (R&S Vet – Paracatu), pela ajuda na discussão deste paciente; aos proprietários do Sadanzinho, pela confiança em meu serviço; a toda equipe Pet Stop Unai pelo carinho ao paciente e, ao meu marido, Walter, pela paciência pelas noites em claro e fins de semana sem descanso.

Dra. Juliana Mori

CLÍNICA VETERINÁRIA PET STOP UNAÍ
Rua Celina Lisboa Frederico, 372
Tel: (38) 3676-9449

<<< Voltar

 

Arinos Web -Copyright 2009 - Todos os direitos reservados